Em reunião dos Brics, Dilma defende ‘combate sem trégua ao terrorismo’

Presidente teve encontro com colegas dos países em desenvolvimento.
Petista está na Turquia para reunião das 20 maiores economias do planeta.

Em reunião com os chefes de Estados dos Brics, a presidente Dilma Rousseff defendeu neste domingo (15) uma ação conjunta da comunidade internacional de “combate sem trégua ao terrorismo”.

Em um rápido discurso diante dos líderes da Rússia, da Índia, da China e da África do Sul, Dilma disse que ficou “consternada” com os atentados terroristas ocorridos na última sexta-feira (13) em Paris e voltou a prestar “solidariedade” ao presidente da França, François Hollande e ao povo francês.

A presidente Dilma Rousseff na foto oficial com os chefes de Estado do Brics durante a cúpula do G20 na Turquia (Foto: Roberto Stuckert Filho / Presidência)

Dilma na foto oficial com os chefes de Estado dos Brics (Foto: Roberto Stuckert Filho / Presidência)

Na manhã deste domingo, os chefes de Estado das cinco nações em desenvolvimento fizeram um encontro preliminar à reunião de cúpula do G20 – o grupo dos países com as 20 maiores economias do planeta – no balneário turco de Antália. Os líderes do G20 irão participar de reuniões e eventos neste domingo e na segunda-feira (16).

Na manifestação, a presidente brasileira também lembrou o acidente aéreo com um avião russo no Egito, ocorrido no final de outubro, no qual morreram 224 pessoas. A petista prestou “condolências” às vítimas da tragédia com a aeronave da companhia russa KogalymAvia.

“Expresso o meu mais veemente repúdio, que é também o de todo o povo brasileiro, aos atos de barbárie praticados pela organização terrorista Estado Islâmico, que levaram morte e sofrimento a centenas de pessoas de várias nacionalidades em Paris, na sexta-feira passada. Manifesto ainda nosso pesar às famílias e aos amigos das vítimas. Estou certa que todos nós nesta reunião dos Brics estamos consternados e queremos manifestar nossa integral solidariedade ao presidente François Hollande e ao povo francês”, declarou Dilma na reunião dos Brics.

“Essas atrocidades tornam ainda mais urgente uma ação conjunta de toda a comunidade internacional no combate sem tréguas ao terrorismo”, complementou a presidente.

Segundo nota oficial do Itamaraty, os líderes dos Brics decidiram defender o fortalecimento da cooperação entre os países do bloco com outras nações “na luta contra o terrorismo”.

Dilma enviou uma carta de solidariedade ao presidente da França depois dos ataques que mataram mais de 120 pessoas em Paris, informou o Palácio do Planalto. Na mensagem, ela chamou os atentatos terroristas de “covardes” e disse que o momento é de “choque e tristeza”.

A presidente da República desembarcou na Turquia na manhã deste sábado (14) para participar do encontro de cúpula que se estenderá até esta segunda-feira.

Economia global
Além de condenar os ataques em Paris, a chefe de Estado brasileira destacou em seu discurso o que classificou de riscos para a economia global. Conforme Dilma, os cinco países que formam osBrics estão comprometidos a trabalhar pela redução desses riscos econômicos.

A presidente defendeu que o bloco priorize durante o encontro de cúpula do G20 temas considerados importantes para os países em desenvolvimento, como investimentos em infraestrutura, redução da volatilidade dos mercados globais, necessidade de reforma das instituições financeiras e o combate à pobreza e às desigualdades.

“O Brics continuará a ser uma força positiva para a retomada do crescimento econômico global nos próximos anos”, enfatizou.

FMI
Em nota, o Ministério das Relações Exteriores informou que, durante o encontro deste domingo, os líderes dos Brics também expressaram “profundo desapontamento” diante do qu eles classificam como “falta de progresso na modernização de instituições financeiras internacionais”, especialmente, em relação à reforma do Fundo Monetário Internacional (FMI).

De acordo com o comunicado do Itamaraty, os chefes de Estado dos cinco países em desenvolvimento “instaram” o FMI a “intensificar esforços”, em colaboração com o G20, para encontrar soluções que tornem possível, entre outros pontos, a revisão da distribuição das cotas e dos votos internos da instituição financeira em favor de países em desenvolvimento e economias emergentes.

“A adoção das reformas de 2010 do FMI continua a ter a maior prioridade para salvaguardar a credibilidade, legitimidade e eficácia do FMI e os líderes instam os Estados Unidos a ratificarem essas reformas o mais cedo possível”, diz trecho da nota divulgada pelo governo brasileiro.

O presidente norte-americano Barack Obama cumprimenta a colega brasileira durante a realização da foto oficial do encontro de cúpula do G20 (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)

O presidente norte-americano Barack Obama cumprimenta a colega brasileira durante a realização da foto oficial do encontro de cúpula do G20 (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)

Cúpula do G20
Neste domingo, Dilma teve uma intensa agenda de compromissos com os líderes do G20. Além do encontro preliminar com os colegas dos Brics, ela participou da cerimônia de boas-vindas à cúpula dos 20 países mais ricos do mundo, da fotografia oficial do evento, de um almoço de trabalho oferecido pelo presidente da Turquia, RecepTayyip Erdogan – anfitrião do evento –, e da primeira sessão de trabalho do grupo das 20 nações mais poderosas.

A presidente também se reuniu com o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, e com o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau.

Na primeira reunião dos 20 países mais ricos do mundo, a presidenta afirmou que há o risco de que, em resposta à queda dos preços das commodities agrícolas, países concedam ou elevem subsídios “distorcivos” para produção agrícola.

Segundo a assessoria do Palácio do Planalto, Dilma defendeu a importância de “resguardar a produção de pequenos agricultores dos países mais pobres”. Ela ressaltou que os pequenos produtores rurais são responsáveis pela maior parcela da produção de alimentos nesses países.

Na ocasião, a petista voltou a reiterar o “repúdio” do governo brasileiro aos ataques do Estado Islâmico em Paris. Os governantes mundiais fizeram um minuto de silêncio em homenagem às vítimas dos jihadistas islâmicos.

Dilma também lembrou dos atentados terroristas registrados em outubro em Ancara, capital da Turquia, que deixou mais de cem pessoas mortas. As explosões aconteceram durante uma manifestação sindical em favor da paz no país.

À noite, a presidente irá a uma recepção oferecida pelo primeiro-ministro da Turquia, Ahmet Davutoglu. A agenda deste domingo se encerrará com um jantar de trabalho oferecido pelo presidente turco.

Via G1 | Link: http://g1.globo.com/mundo/noticia/2015/11/dilma-se-reune-com-chefes-de-estado-do-brics-durante-cupula-do-g20.html

Técnico em Informática, Bacharel em Ciência da Computação. Natural de Itatiba/SP.

Email: brunomezzalira@itatibanews.com

Comentários

Bruno Mezzalira

Técnico em Informática, Bacharel em Ciência da Computação. Natural de Itatiba/SP. Email: brunomezzalira@itatibanews.com

Recentes

VOCÊ SABE O QUE É DISCALCULIA? por Adriana Ferreira  O DISTURBIO DAS OPE...
Prefeitura realiza trabalhos de campo no combate a... Seguindo a programação das ações de combate a deng...
Ministro Edson Fachin manda soltar ex-deputado Rod... Ex-assessor de Temer foi flagrado recebendo R$ 500...
Rock Brasil em Itatiba Com 13 anos de história e após 7 anos longe da cid...

Populares

Polícia Militar fecha laboratório de drogas dentro... No local foram apreendidos 16 quilos de entorpecen...
Pedágios da região têm reajuste a partir deste sáb... Segundo a Artesp, nos últimos seis anos a receita ...
Novo ataque de ransomware começa a infectar comput... Um novo ataque de ransomware está infectando compu...
VOCÊ SABE O QUE É DISCALCULIA? por Adriana Ferreira  O DISTURBIO DAS OPE...
Rock Brasil em Itatiba Com 13 anos de história e após 7 anos longe da cid...
CLOSE
CLOSE