Goleiro Bruno é autorizado a deixar prisão para dar aulas de futebol a crianças

Condenado pela morte de Eliza Samudio, Bruno Fernandes foi autorizado pela Justiça para ser liberado da prisão. O goleiro dará aulas de segunda a sexta-feira para crianças e adolescentes, na cidade de Varginha, cerca de 300 km da capital mineira de Belo Horizonte. Os dias de trabalho vão ser utilizados na remição da pena.

A decisão feita nesta última quarta-feira (2) pelo juiz da 1ª Vara Criminal de Execuções Penais da cidade e busca a inclusão e ressocialização de presos. Bruno dará aulas no Nucap (Núcleo de Capacitação para a Paz), para mais de 50 crianças e adolescentes filhos de presos e ex-presos. No local, ele não terá acesso à área externa nem a familiares dos alunos.

Além disso, o goleiro será buscado no pátio da unidade prisional pela instituição e transportado até o Nucap, não tendo nenhum contato com o mundo externo. A entidade deverá ainda enviar relatórios à Justiça, com o controle de frequência e lista de atividades desenvolvidas por Bruno Fernandes, tal como qualquer irregularidade.

Bruno em liberdade

Em fevereiro de 2017, o goleiro conseguiu um habeas corpus em Brasília e foi libertado da prisão onde estava detido em Santa Luzia, cidade localizada na Grande Belo Horizonte. Logo após a liberdade, foi contratado pelo Boa Esporte para jogar profissionalmente por duas temporadas.

No entando, a passagem de Bruno Fernandes pelo time de Varginha durou pouco menos de dois meses. Foram apenas cinco partidas defendendo a equipe, já que em abril, a Jutiça determinou que ele voltasse à prisão novamente.

O caso

Bruno foi preso em 2010 e, no dia 8 de março de 2013, condenado a 22 anos e três meses de prisão pelo assassinato e ocultação de cadáver de Eliza Samudio , que desapareceu em 2010 e não teve o corpo encontrado. Ela tinha 25 anos e era mãe do filho que o goleiro sequestrou e manteve em cárcere privado. Na época, o jogador era titular do Flamengo e não reconheceu a paternidade, já que ela era sua amante.

A condenação de Bruno ficou dividida da seguinte forma: 17 anos e seis meses em regime fechado por homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, asfixia e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima), a outros 3 anos e 3 meses em regime aberto por sequestro e cárcere privado e ainda a mais 1 ano e 6 meses por ocultação de cadáver.

Por: IG São Paulo

Sócio-proprietário do site e página Itatiba News e fotógrafo. Natural de Itatiba. Atua também na área de transportes executivos.
Comentários

Cleber Quintino

Sócio-proprietário do site e página Itatiba News e fotógrafo. Natural de Itatiba. Atua também na área de transportes executivos.

Recentes

Itatiba recebe 500 livros do Projeto Mundo da Leit... Neste mês de outubro, alunos da rede municipal de ...
Avenida Cel. Peroba recebe alterações na próxima s... A partir da próxima segunda-feira, dia 23 de outub...
Novo recurso do WhatsApp mostra aos amigos onde vo... O WhatsApp está recebendo um novo recurso que perm...
Estudo alerta para aumento nos casos de DSTs entre... Ser idoso já não significa falta de atividade, cal...

Populares

Polícia apreende três suspeitos de matar professor... Um jovem e dois adolescentes foram detidos em Jund...
Professora desaparecida em Itatiba é encontrada mo... Ana Maria Jericó, de 55 anos, desapareceu durante ...
Trio é preso após comentário sobre homicídio em re... Segundo a Polícia Militar, corpo da vítima foi enc...
Quadrilha planejava o maior roubo a banco do mundo... A criatividade dos assaltantes é digna de um filme...
Avenida Cel. Peroba recebe alterações na próxima s... A partir da próxima segunda-feira, dia 23 de outub...
CLOSE
CLOSE